5 novos livros de música para presentear

Livros nunca saem de moda.

Lançados nos últimos meses, esses títulos contam desde a história do movimento black no Rio de Janeiro até a seleção dos melhores penteados das estrelas country americanas. Imperdíveis!

Lindo Sonho Delirante, Bento Araújo, R$120

lindo-sonho-delirante-high

(Divulgação)

A primeira obra dedicada inteiramente à música psicodélica brasileira conta com 100 discos catalogados e apresentados pelo jornalista Bento Araújo. O recorte do livro vai de 1968 e 1975, época de repressão militar e início da luta das mulheres por igualdade. (Entre os 100 álbuns, 25 envolvem mulheres!).

Preto e Branco, Mauricio Valladares, R$ 60

62643225_scfotos-de-mauricio-valladares-no-livro-preto-e-branco

(Reprodução/ Mauricio Valladares)

Durante as últimas cinco décadas, o fotógrafo, radialista e jornalista carioca Mauricio Valladares registrou com sua câmera analógica cantos em lugares como São Paulo, Rio de Janeiro e Londres. O livro conta com 142 fotos realizadas entre 1972 e 2003 e com personagens como Rita Lee, Gilberto Gil, Caetano Veloso e Bob Marley.

Rita Lee: Uma Autobiografia, Rita Lee, R$45

935aedad-9450-4402-aa4e-f903903e5783_ritaleecontracapafotoguilhermesamoraglobolivros

(Divulgação)

Sem muito rodeios, Rita Lee lançou no fim do ano sua autobiografia recheada de contos da música brasileira. A infância e o início na vida artística, sua prisão em 1976, a relação tumultuada com os colegas Sergio Dias e Arnaldo Baptista, um aborto, um estupro e uma carreira cheia de fatos marcantes.

1976: Movimento Black Rio, Zé Octavio Sebadelhe e Felipe Gaoners Lima, R$55

626016_1976-movimento-black-rio-744514_l1_636144496783988047

(Divulgação)

Os jornalistas contam em 200 páginas a origem dos primeiros bailes de black soul dos subúrbios cariocas, até os eventos que ultrapassaram 10 mil pessoas. Reconhecem o ano de 1976 como auge desse movimento de afirmação social, estética e musical. Contam com nomes como Tim Maia, Sandra de Sá e Toni Tornado como personagens.

Country Music Hair, Erin Duvall, U$14

51tbwu95iyl

(Reprodução)

Ao longo das décadas, a música country americana teve vários penteados marcantes, seja as trancinhas de Willie Nelson, aos mullets da década de 1980, até o ícone Dolly Parton. A jornalista americana investigou o desenvolvimento dos penteados desde a década de 1960 e entrevistou nomes como a cantora Sara Evans.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s