Desert X é o incrível festival de arte paralelo ao Coachella

Com 16 artistas de todo mundo, as instalações acontecem em várias áreas ao redor de Palm Springs, no deserto de Sonora.

Até 30 de abril, o vale do Coachella, sul da Califórnia, e sua paisagem são o pano de fundo para a bienal do deserto, o Desert X. Com 16 artistas de todo mundo, as instalações acontecem em várias áreas ao redor de Palm Springs, no deserto de Sonora. As ocupações ocorrem na mesma época do festival de música Coachella, e não é preciso comprar ingressos para visitar os 70 km de areia que as obras ocupam.

Com curadoria do diretor artístico Neville Wakefield, problemas globais e locais são o ponto de partida para as obras, que tratam desde mudanças climáticas até o céu estrelado, de culturas tribais e imigração ao turismo.

Uma das obras poderia até ser uma miragem, mas a casa coberta de espelhos do californiano Doug Aitken reflete a paisagem ao redor e se dilui na paisagem, enquanto o interior (também forrado por espelhos) se torna um caleidoscópio.

(Lance Gerber/Divulgação)

A obra Terra Oca, do americano Glenn Kaino, é uma escultura feita de vidro e madeira instalada dentro de um galpão abandonado, criando a ilusão de um túnel que desce até o centro da Terra. Uma vez no espaço, o visitante observa um buraco brilhante, iluminado e muito profundo que cai em escuridão infinita. “Hollow Earth” relembra as numerosas lendas de uma terra subterrânea, e provoca a ideia de que um mundo do avesso. Uma referência explícita às crises dos dias de hoje.

(Lance Gerber/Divulgação)

(Lance Gerber/Divulgação)

Já “I am”, do bahamense Tavares Strachan,  é um trabalho que explora a relação entre os seres humanos e o meio ambiente. A frase “Eu sou” é uma forma de se identificar com o universo. Para o projeto, foram cavados buracos ocupando o tamanho de dois campos de futebol, e tubos de néon iluminados alinham o perímetro de cada cratera. O espectador irá interagir com o que parece ser uma fenda de luz abstrata e incandescente, mas, se visto do céu, será possível ler a frase “I am”.

(David Blank/Divulgação)

Além das instalações, música, performances, conversas com artistas e palestras acontecem em Palm Springs até o fim do evento. Confira a programação aqui.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s