Os coffee table-books que você quer agora

De Barbara Streisand ao movimento punk, conseguimos agradar gregos e troianos.

Nunca se deve julgar um livro pela capa, mas no caso desses quatro livros o meio é a mensagem porque além de conteúdos riquíssimos, a minuciosidade do trabalho gráfico os torna verdadeira obras de arte.

Barneys New York, Rizzoli, U$50

504778805_5_detail

Aberta em 1923, a loja Barneys New York é quase um cartão postal da cidade, continuamente citada em filmes e séries ao longo das décadas, tem sua história contada em forma de livro organizado pelo escritor Cristopher Bollen. Em mais de 300 páginas, o autor passa pelas propagandas, campanhas, vitrines, eventos e parcerias da meca americana cujo mantra se mantém há 93 anos como “Taste. Luxury. Humor” (gosto, luxo e humor). Entre seus colaboradores mais célebres: o artista Jean-Michel Basquiat, os fotógrafos Bruce Weber, Steven Meisel e Jurgen Teller e até a cantora Lady Gaga.

504778805_3_detail

Barbara Streisend, Taschen, U$750

fo-streisand_trade-image_01_45307

(Reprodução)

Para qualquer fã da atriz, cantora, compositora, diretora e produtora cair de amores: mais de 300 páginas em um livro que revisita por meio de imagens (metade delas nunca antes vistas) e texto a carreira de uma das artistas mais populares e reverenciadas do século XX. Ganhadora de dois Oscar, oito Grammys, quatro Emmys, Barbara foi entrevistada e fotografada pelos autores Steve Schapiro e Lawrence Schiller pela primeira vez na década de 1970, quase quarenta anos depois a dupla publica uma obra que contempla seus filmes e seus parceiros como Robert Redford e Sydney Pollack.

fo-streisand_trade-image_02_45307

Peter Lindbergh: A Different Vision on Fashion Photography, Taschen, U$ 70  

lindbergh_fashion_fo_int_3d_05793

Na década de 1990, as supermodelos reinavam nas passarelas e nas revistas de moda. Um dos personagens centrais da disseminação do padrão de beleza da época é o fotógrafo alemão Peter Lindbergh, responsável por cliques de Cindy Crowford a Kate Moss. Em mais de 400 imagens, o livro transita pelas quatro décadas do fotógrafo queridinho de publicações como W e Vanity Fair, além de ter uma carreira de destaque no mundo das artes e do cinema.

lindbergh_fashion_fo_int_open_0278_0279_05793_1607261221_id_1069654

Oh so pretty, punk in print (1976 – 1980), Phaidon, U$40

oh-so-pretty-punk-in-print-1976-80-en-7275-3d-grey

2016 é o ano que o movimento punk comemora 40 anos. Épocas antes de cair no mainstream e no gosto popular, a estética punk nasceu da urgência e insatisfação da classe média com um Reino Unido dominado pelas políticas da primeira-ministra Margareth Tatcher. O artista Toby Mott participou de seu início e manteve uma coleção de dar inveja de pôsters e zines da época. Mais de 450 itens de seu acervo aparecem no livro, junto de flyers de bandas como The Clash, The Ramones e Blondie.

Flyer para Siouxsie and The Banshees e The Slits no The Roxy, em Londres, Barry Jones, 26 March 1977.

Flyer para Siouxsie and The Banshees e The Slits no The Roxy, em Londres, Barry Jones, 26 de março 1977. (Divulgação)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s