Como a impressora 3D está sendo usada na moda

No melhor espírito faça você mesmo, a impressora 3D já é uma realidade que invade o guarda-roupa e reproduz até tatuagem.

A impressora 3D pode parecer um passe de mágica, mas esse tipo de artifício não é um faz de conta: é um faz de tudo! Com modelagens criadas em softwares de computador e alguns poucos cliques, é possível construir de suvenir a roupa e de cadeira a joia. Ou até produzir uma nova tattoo. Na moda, alguns nomes levaram peças feitas com a máquina para a passarela e Hussein Chalayan e Iris Van Herpen inventaram uma linguagem própria de shape arquitetônico com ela. A Chanel e a Atelier Versace também já se encantaram pelo aparelho e a última fez um vestido de gala para a atriz Kate Hudson usar no baile do Met. Já no caso do coletivo francês Appropriate Audiences, a máquina vira um braço robótico que tatua linhas perfeitas.

As invenções são múltiplas, com processos e materiais variados. Para produzir o editorial Tink Print Wear, por exemplo, recorremos à impressão em pó cerâmico. Nossa equipe de moda foi ao PrintMe 3D (printmeminiaturas3d.com.br), em São Paulo, onde cada um dos sete looks vestidos pela modelo Katia André foi escaneado em uma cabine composta de 115 máquinas fotográficas. As imagens foram transformadas em algoritmos e depois impressas em cerâmica e retocadas com resina. O resultado foram as miniaturas de 15 cm, que fotografamos para o editorial.

Roupas Feitas com Impressora 3D

Crochê com tecido 3D da Ohne Titel.

Mas não é só para designers que gostam de pirações que a impressora serve. A estilista Danit Peleg e a dupla Flora Gil e Alexa Adams, da Ohne Titel, por exemplo, criam novos tecidos, que são adicionados a materiais tradicionais, e dão um up em técnicas antigas, como a do crochê. “O filamento da impressão geralmente é de plástico. Mas, dependendo de velocidade, temperatura e intensidade usadas, é possível conseguir um tecido mais maleável ou mais rígido”, conta Renata Portelada, da Lab for Architectural Singularity, de São Paulo. Ela faz parcerias com designers como Luisa Veloso, que viu na máquina a maneira mais fácil para a execução de joias muito complexas.

“Lá fora, você pode mandar arquivos para empresas como a Shapeways.com, que envia o objeto pronto para o Brasil, impresso até em ouro e prata”, conta o designer e arquiteto Henrique Stabile, que usa a impressão 3D para produzir os protótipos que apresenta a seus clientes. Em território nacional, Henrique recorre a empresas como a paulistana Garagem Fab Lab, espaço que, com hora marcada, deixa a impressora livre para quem quiser brincar. “Basta modelar o produto em um sofware como o Rhinoceros, aplicar a programação em cima da base desenhada e imprimir o arquivo”, explica Stabile. Quem quiser ajuda para produzir deve procurar um designer de produto, o profissional com experiência nesse tipo de processo.

Roupas Feitas com Impressora 3D

Ainda por aqui, outras empresas prestam o serviço e algumas delas até ajudam no processo de transformar a ideia em algoritmo e depois em objeto real, como a 3D Criar (3dcriar.com.br), a Prototype 3D (prototype3d.com.br) e a Stratasys (stratasys.com), de São Paulo, e a Cliever (cliever.com.br), de Porto Alegre. Deixe a sua imaginação rolar!

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s