Guta Virtuoso criou uma marca incrível de acessórios descolados

À frente da Cine 732, Guta Virtuoso prova que os acessórios certos são a chave para um visual camaleônico.

Dona de uma etiqueta de brincos, colares e anéis que é queridinha entre as paulistanas descoladas, Maria Augusta Virtuoso sempre teve um olhar apurado para os detalhes. Mais conhecida como Guta, ela é craque na arte de garimpar em brechós e ama complementar seus looks mais básicos com acessórios incríveis. Seu apartamento no bairro dos Jardins, em São Paulo, reflete bem seu gosto por peças únicas – e o faro afiado para juntá-las em um ambiente cheio de personalidade. Nascida em Santos, ela trocou o litoral paulista por São Paulo aos 18 anos, quando veio estudar desenho industrial na Faap. Acabou mudando de curso e se formando em moda no IED para logo emendar uma pós-graduação no Instituto Marangoni, em Milão. “Morei por quase dois anos lá com a Luciana Conde, hoje minha sócia na Cine”, lembra ela.

Guta veste regata Topshop sobre segunda pele Salga, saia Paula Raia, sapatos Stella McCartney e colar e pulseira Cine 732 (Vivi Bacco/ELLE)

“Voltei e, quando fui trabalhar como estilista no grupo Restoque, vi que não queria mais criar roupas”, conta. “Adorava consumi-las, mas desenvolver não era a minha praia.” Foi quando lançou seu primeiro negócio, a label de joias Stef. “Percebi que queria produzir peças mais divertidas. Sempre fui de bijoux.” Com essa ideia na cabeça, ela tirou do papel em novembro de 2014 a Cine 732, hoje mais conhecida por seus chokers e pulseiras de resina.

“A primeira coleção tinha muitas conchas, por isso na segunda testamos a resina para não ficarmos conhecidas como ‘a marca das conchas’”, explica. “No entanto, a segunda linha estourou e o material acabou virando nossa cara. Chegamos a incluir outros elementos em criações posteriores, como metais e arrebites, mas nada bate nosso carro-chefe.” Parte do sucesso da etiqueta está ligada ao poderoso círculo de amigas que a dupla de sócias tem.

Clutch da primeira coleção da Cine 732, batizada de Under the Sea (Vivi Bacco/ELLE)

“Sempre foi muito orgânico. Elas gostam das peças e se interessam em usar. Tenho sorte de ter amigas influentes e é um prazer vesti-las! Quando elas gostam, as presenteio. Mas nunca paguei uma blogueira para usar nada nosso”, revela Guta. Entre o time de clientes estão nomes como Renata Vanzetto, Francesca Monfrinatti e Fernanda Paes Leme, além de celebs como Anitta e Carolina Dieckmann. “Meu amor por acessórios é desde pequena. Minha avó é uma grande referência para mim, já que sempre gostou de comprar cacarecos e adora sair por aí enfeitada.”

Bolsa Louis Vuitton (Vivi Bacco/ELLE)

O turning point da label aconteceu quase um ano depois de seu nascimento, quando a Cine estampou a capa de duas publicações nacionais – uma delas a ELLE. “Confesso que, quando vi, chorei. Senti que tinha vingado e estávamos na direção certa. Nunca quisemos fazer mais do mesmo, por isso foi importante ver que tínhamos conquistado um público. A partir daí, muita gente começou a nos copiar”, recorda. “A primeira vez em que isso aconteceu, fiquei com raiva, mas na segunda já vi graça. Vou na 25 de Março (rua de comércio popular em São Paulo) e vejo muitas pulseiras iguais às nossas. Pensei em parar de fazer resina por causa disso, mas resolvi que não vou abrir mão do nosso DNA.”

Baú de tesouros

É claro que o gosto por complementos não virou só carreira – Guta continua sendo uma das melhores garotas-propaganda de sua etiqueta. “Sou fã de uma roupa boa e bonita, mas confesso que não abro mão do conforto”, esclarece. Para isso, tem um closet recheado de itens feitos com tecidos naturais e várias fatforms. Apesar de ele incluir também uma bolsa Prada e um sapato Miu Miu, a designer adora usar grifes nacionais, como Paula Raia, Egrey, Lane Marinho e a antiga Virzi de Luca. Na hora de garimpar, vai aos brechós B. Luxo e Damn Project, na capital paulista, e ama uma esquina na Rua Notting Hill, em Londres, onde há “uma lojinha imperdível de coisas antigas”. O xodó da casa, contudo, é mesmo um armário branco no qual Guta guarda todos os seus (inúmeros) chapéus, brincos, colares, pulseiras e anéis. “Não faço nem ideia da quantidade, mas são muitos! Isso porque me desfiz de vários outro dia e ainda tenho um saco enorme de peças que precisam de manutenção.” A melhor solução para um guarda-roupa enxuto e de mil possibilidades.

Guta de camiseta Atmosphere, saia comprada em brechó, botinhas Zara e acessórios Cine 732. (Vivi Bacco/ELLE)

Sapatos Miu Miu (Vivi Bacco/ELLE)

Body e calça Lagoa|A, cinto comprado em Salvador e brinco comprado no Centro de São Paulo (Vivi Bacco/ELLE)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s