Juicy Couture traz sua moda jovem para o mercado nacional

Marca californiana conhecida pelas peças coloridas e descontraídas acaba de chegar a São Paulo

Campanha de inverno 2010 da grife Juicy Couture
Foto: Reprodução/Juicy Couture


Desde que Madonna apareceu com os tracksuits da Juicy Couture, aqueles conjuntinhos de plush colorido usados nos momentos de folga da rainha do pop, as peças cool and easy da grife caíram nas graças das fashionistas – especialmente das teens, que encontram na Juicy o uniforme perfeito para os dias ensolarados da Califórnia, terra onde a marca nasceu.

A boa-nova é que um pouco desse California dream, como diria Rihanna, acaba de desembarcar em São Paulo. A cidade não tem praia, é verdade, mas quem disse que não dá para levar os vestidinhos soltos, as estampas fofas e a atitude jovem e descontraída da Juicy para um passeio no parque?

Inaugurada em maio, no shopping Pátio Higienópolis, a loja é a segunda da label por aqui – em fevereiro, o Rio ganhou um endereço da Juicy para chamar de seu. E os planos da BR Label, que administra a grife no país, são ambiciosos. A meta é abrir 15 lojas, até 2016, nas principais capitais do país: Brasília e Curitiba são as próximas da lista. “O Brasil é a bola da vez”, diz Nani Franco, brand manager do grupo BR Label. “Todos estão de olho na gente.”

E, para entrar na briga, a Juicy se armou com seus best-sellers e um exército de acessórios, que vão de bolsas, bijoux e headbands a bags para cachorros.

Além disso, diferentemente do que acontece com algumas etiquetas importadas, a marca vai seguir as estações do país – tanto que inaugurou a loja com a coleção de inverno 2011, enquanto no Hemisfério Norte as prateleiras ainda estão lotadas com as roupas de verão.

“Queremos ser competitivos. Não quero concorrer com a Chanel. Meus concorrentes são a Forum, a Carina Duek e a Maria Bonita Extra, só para citar alguns”, entrega Nani, que avisa que tem preço para isso. As bolsas, por exemplo, custam entre R$ 800 e R$ 1,5 mil.

Criada em 1996 por Pamela Skaist-Levy e Gela Nash-Taylor, que deixaram a empresa em 2010, a grife tem hoje a estilista LeAnn Nealz na direção. E, se as peças parecem simples à primeira vista, o segredo do sucesso (além do empurrãozinho de Madonna) está no styling. “O forte da Juicy são as sobreposições. A ideia é começar o dia toda montada e ir tirando as camadas aos poucos”, ensina Nani.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s