Michael Kors fala sobre seus 36 anos de carreira na moda

Designer fala sobre Melania Trump, exportação para o mercado asiático e valorizar as roupas.

Em um evento do The Metropolitan Museum of Art, Michael Kors e Alina Cho conversaram sobre os 36 anos de carreira do designer na moda. Durante a noite, ativistas dos direitos animais fizeram um protesto contra a marca que não deixou de usar pele, mas após uma breve pausa, a discussão continuou. “Bem, um teto desabou durante um desfile meu. Mas o show continuou mesmo assim”, descreveu o designer.

Ele deixou claro que a prioridade da marca são suas clientes: “eu sempre digo que faço as molduras, e as mulheres que usam as roupas são as pinturas”. Michael ainda falou sobre outros temas polêmicos, como o recente fechamento de 100 de suas lojas. “Temos que lembrar que nada nunca irá conseguir competir com uma sacola de compras, ou abrir a embalagem de uma peça”, fala ele sobre a diferença entre a experiência de compra virtual e física. Apesar disso, “hoje mostramos roupas na passarela para mulheres que já as viram em seus celulares. É uma questão de como tudo isso funciona quando você compra em seu celular, computador ou na loja”, reflete Michael, que assume a influência da internet na decisão de encerrar as atividades de alguns endereços.

Date night: @CarolynMurphy and Michael Kors arrive at tonight’s #TonyAwards2017. #FameFrames

A post shared by Michael Kors (@michaelkors) on

Ele também fala da importância da Ásia para os negócios e motivo do mercado precisar dar mais atenção para o continente: “todos temos que lembrar que a melhor palavra na moda é ‘curiosidade’, então se você tem um comprador interessado, inspirado, curioso, não é essa a melhor oportunidade de negócios?”

Fact: Michael and @BlakeLively go way back, but who will come out on top? #GlamourGames

A post shared by Michael Kors (@michaelkors) on

Um dos pontos polêmicos da conversa foi a fala sobre Melania Trump, que é fã de suas criações. “Ela é uma cliente nossa há muito tempo. O que temos que lembrar é que minhas clientes favoritas tem opiniões. Elas sabem o que veste melhor nelas, o que é certo para elas. A verdade simples é que se eu fizer meu trabalho direito, teremos clientes de 17 anos e de 90 anos, clientes que vestem tamanho 0 e tamanho 22. Então eu não acho que seja uma coisa política”, conta.

Ele finaliza falando sobre a valorização da vestimenta: “às vezes eu escuto as pessoas falarem ‘ah, usarei isso em uma ocasião especial’. E eu falo: ‘sua vida é uma ocasião especial. Use o vestido trabalhado com um moletom por cima. Aproveite as coisas que você tem.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s