O que Vivienne Westwood quis ao colocar um menino de vestido na passarela

O inverno 2017 é o primeiro desfile da icônica estilista britânica na Semana de Moda Masculina de Londres.

Se você gosta muito de moda, já deve ter esbarrado com a imagem abaixo no seu feed. “O menino de vestido do desfile de Vivienne Westwood” está pipocando pela internet em sites do mundo todo. No entanto, o inverno 2017 da estilista vai muito além de uma brincadeira com a androginia na passarela.

Vestido de tule preto vestido por um garoto no desfile de Vivienne Westwood.

Vestido de tule preto vestido pelo modelo Marco Torri desfile de Vivienne Westwood. (Catwalking/Getty Images)

Intitulada “Ecotricity“, a coleção fala, de certa forma, sobre uma moda do futuro. Espera-se que, no passar de alguns anos, a sustentabilidade seja palavra de ordem entre as empresas do mundo todo. Sempre à frente de seu tempo, Vivienne já está desenhando o figurino para a vida nesse novo contexto. E quem acompanha sua carreira, sabe que isso não é de hoje… A estilista passou a sua carreira defendendo o uso de tecidos eco-friendly e usa a sua visibilidade para trazer mais atenção a inúmeras causas, mas principalmente a ambiental.

Acessório de cabeça com o tema da coleção ("Ecotricity") escrito.

Acessório de cabeça com o tema da coleção (“Ecotricity”) escrito. (FOTOSITE/Agência Fotosite)

No universo idealizado pela estilista, roupas que não agridem o meio ambiente, naturalmente, também não se limitam à clássica divisão entre masculino e feminino. Assim, os ternos, os vestidos, as saias, as calças e qualquer peça que venha à cabeça servem para homens e para mulheres da mesma maneira. E foi esse o tratamento que a britânica deu a essa pauta – tão em voga, haja visto o boom da moda genderless – no inverno 2017.

A coleção começa com tricôs – uma série incrível que mistura diferentes pontos, cores e fios em uma mesma peça – usados por meninos e meninas. Depois, passa por uma alfaiataria desconstruída. E, então, chegam alguns vestidos de festa – mais uma vez, desfilados em meninos e meninas. “No começo, minhas apresentações eram sempre mistas”, conta a designer a uma revista norte-americana. “Tudo junto!”

Leia mais: Depois dos millennials, é a vez da ‘Geração Z’ dominar a moda

Alfaiataria "masculina" em garotas no desfile de Vivienne Westwood.

Alfaiataria “masculina” em garotas no desfile de Vivienne Westwood. (FOTOSITE/Agência Fotosite)

No fim, além de uma coleção repleta de belíssimas roupas produzidas artesanalmente e desenhadas despretensiosamente – misturando-se umas às outras, amarrando-se para não cair e envolvendo qualquer corpo que quiser se aventurar por ali – Vivienne Westwood continua provando que apesar de muitos a considerarem um pouco maluca, ela entende o mundo melhor do que muitos de nós, e está pronta para viver um futuro onde conceitos como roupas de meninos e meninas naturalmente farão pouco sentido.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s