Stella McCartney utilizará plástico dos oceanos em suas roupas

Designer amplia esforços sustentáveis e inclui fibra feita de garrafas plásticas recolhidas no mar em suas criações.

A designer Stella McCartney dará um passo além em seus esforços sustentáveis: ela acaba de traçar uma parceria com a Parley for the Ocean para utilizar plástico dos oceanos em suas criações. A companhia, formada por pessoas criativas que desde 2015 se dedicam à saúde das águas e da vida marinha, desenvolveu a Ocean Plastic, uma fibra criada com objetos encontrados no fundo do mar, como redes de pesca ou garrafas plásticas.

A empresa trabalha com o governo das Maldivas, assim como resorts e escolas da região, para recolher de 80 a 120 toneladas de plástico dos oceanos mensalmente. Elas são então condensados em partes menores e enviados para empresas de reciclagem, onde se tornam filamentos e, finalmente, tecidos.

Leia mais: Stella McCartney e Vivienne Westwood estão entre as vencedoras do PETA UK Vegan Fashion Awards

Stella conta ao The New York Times que não acha que esse novo uso será um desafio para a marca de luxo. “Pegar algo destrutivo e transformar em algo sexy e cool, como isso não é luxo?

A marca está comprometida a substituir o poliéster reciclado ou a lã — o que vem em bom momento, já que em 2016 ela interrompeu uso do material após descobrir maus tratos a ovelhas. Sapatos, bolsas e casacos com plástico também estão dentro do planejamento, mas a entrada do mesmo nas peças será sutil, notada apenas nas etiquetas na primeira coleção, que chega nas lojas em julho.

Para Cyrill Gutsch, fundador da Parley Oceans, a aliança com McCartney promete não apenas mudança ambiental, mas também uma abrangência na indústria. “Nós estamos em guerra com os oceanos. Se ganharmos, perdemos tudo. É hora de fazer as pazes entre a humanidade e o mar. Nenhum grupo social é melhor equipado para esse desafio do que uma classe criativa. Stella McCartney não é apenas uma designer fantástica, ela é pioneira no ativismo criativo. Seu trabalhou mudou a indústria.”

A marca é vegetariana e foi pioneira em deixar de utilizar pele e penas de animais, influenciando uma geração de designers a fazer o mesmo. De acordo com ambos, o ideal seria que um novo material fosse inventado para substituir o plástico — mas enquanto isso não acontece, pode-se esperar que essa parceria abra caminho para novas iniciativas. Estamos ansiosos para ver as novidades!

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s