Leis francesas regulam uso de Photoshop e saúde das modelos

Novas leis francesas exigem notificação sobre uso de Photoshop em todos os veículos de comunicação e atestado médico de saúde para modelos.

Em um movimento para combater doenças alimentares, o governo Francês acaba de aprovar duas leis propostas há oito anos: fotografias que tiveram as formas corporais das modelos alteradas deverão ser notificadas. Além disso, algumas modelos deverão oferecer comprovação médica de saúde para trabalhar.

De acordo com o jornal oficial da França, a partir do dia 1 de outubro, as palavras Fotografia Retocada (Photographie Retouchée) deverão acompanhar as imagens manipuladas. A medida é mandatória para imagens que aparecem em propagandas, na imprensa, online ou em catálogos.

Leia mais: Ashley Graham: “minha mãe não fez da celulite uma questão”

Além disso, algumas modelos terão que buscar um certificado de saúde que ateste “um estado de saúde geral, de uma pessoa maior de 16 anos, e que avalie notavelmente o equilíbrio de sua massa corporal”. A medida começa a valer no sábado, e também é válida para modelos de outros países da Europa que estiverem trabalhando na França. 

“Expôr pessoas jovens à uma norma não realista de  imagem corporal leva a um senso de depreciação do próprio eu, além de baixa auto-estima, e pode impactar o comportamento”, afirmou a ministra de saúde e questões sociais Marisol Touraine ao WWD. “O objetivo também é proteger a saúde de uma população particularmente afetada pelos riscos: as modelos”, finalizou a ministra. Vale ressaltar que, na França, a estimativa é de que 35 mil pessoas – a maioria adolescente – sofrem de anorexia. 

Leia mais“Me recusaram trabalho por ser grande demais, mas também por não ser grande o suficiente”, diz Ashley Graham

Pierre François Le Louët, presidente da federação francesa de ready-to-wear, afirma que “é muito favorável a menção do retoque nas fotos”. Apesar disso, ele declarou que as medidas não deveriam mascarar uma discriminação contra certos tipos de corpos: “nós estamos lutando pela diversidade. O assunto deve ser discutido, deve expor as coisas de uma maneira talvez um pouco menos convencional do que estamos acostumados nos últimos anos”, finalizou Pierre.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s