“Autoestima é a minha melhor dica para uma mulher estar na moda”

Conheça esta brasileira que vive há 13 anos na Antuérpia.

A baiana Leniliz Ornellas mora na Antuérpia, um lugar único no mundo a 40 minutos de Bruxelas, na Bélgica, e que possui uma das escolas de moda mais respeitadas do mundo. É de lá que saíram estilistas como Dries Van Noten, Ann Demeulemeester e Glenn Marteens. De passagem por Paris, a empresária de 35 anos compartilhou como é a vida na região e sublinhou as principais diferenças no lifestyle. “Há a liberdade de se vestir como quiser sem mexerem com você a cada esquina”, apontou. Conheça mais sobre essa baiana no Moda Real deste mês:

O que você estava vestindo no dia da foto?
Me visto de acordo com meu humor, mas sempre uso um acessório ou peça que transmita algo sobre minha personalidade. Neste look foi a t-shirt com uma hashtag criada por mim. #WannaBeFashion?BeYoursef. Ser fashion é ser você, e essa frase define minha filosofia. Fiz uma sobreposição de t-shirt com vestido e finalizei com uma bota over the knee para dar um toque sensual e fashionista.

Há quanto tempo mora na Europa? Como veio para cá?
Moro há 13 anos. Vim a trabalho, gostei e voltei para morar.

Leia Mais: “O estilo da parisiense é simples e chic, mas não muito original”

moda-real-parisiense

(Ana Garmendia/ELLE)

Qual é a diferença entre ser mulher aqui e lá?
A liberdade de se vestir como quiser sem mexerem com você a cada esquina é tudo. A segurança de andar sozinha à noite não têm comparação em relação ao Brasil. Claro que não é 100% seguro. E aqui as mulheres são muito frias, mas têm uma mente bem aberta!

O que você mais curte na moda daqui e na de lá?
A moda aqui me define por completo. Não existe certo ou errado, você usa o que você quer e ponto. Moro na Antuérpia e a diversidade de culturas é incrível. Podemos transitar do estilo clássico ao rock tranquilamente. Já no Brasil, a sensualidade, fluidez, cores e estampas das peças me fascina. O tropicalismo do Brasil e o bronze perfeito fazem muita diferença.

Quais são as particularidades das francesas, belgas e brasileiras?
Não vou negar que sou bem nacionalista quando o assunto é beleza, acho a mulher brasileira demais. Posso dizer que as francesas e as belgas têm muito em comum já que elas são sóbrias, não ousam e quando o assunto é estampa elas correm. Preferem sempre o básico. Já entre as fashionistas existe um diferencial, as produções são um pouco mas autênticas, embora pareçam seguir sempre a mesma linha. O que mais me chamou atenção nas ruas de Paris foi o estilo das mulheres asiáticas e negras. As produções são descoladas, cheias de personalidade e informação de moda de forma autêntica. Preciso vir mais vezes para ver tudo que Paris tem a oferecer.

Você é feminista?
Eu apoio a liberdade de expressão de toda mulher e o direito de ir e vir de cada uma de nós. Fico na paz e amor, aprendi a lidar com minha liberdade de forma positiva, sem deixar de acreditar no amor, no casamento e unir tudo isso à minha vida profissional. É um tema que requer muito tempo para ser respondido.

moda-real-parisiense

(Ana Garmendia/ELLE)

Como você se cuida? Rosto, cabelos, corpo e roupas?
Se cuidar interiormente reflete todos os aspectos da nossa vida. Quando tenho uma rotina saudável de sono, água e boa alimentação vejo um resultado gritante principalmente na minha pele e humor. No rosto, eu uso exfoliantes, máscaras de argila, receitas caseiras e hidratantes. Na pele, indico o Sérum Flavo C, da Auriga e o Hidra Beauty Microsérum, da Chanel, para garantir uma pele iluminada e hidratada. No cabelo, a Máscara Kérastase Nutritive Óleo Relax, perfeita para cabelo seco. Meu perfume é o The One, da Dolce & Gabbana.

Dicas imperdíveis em Antuérpia e em Paris?
A Antuérpia é perfeita para quem gosta de moda. Cada esquina é um flash. Indico o restaurante Gran Ducan, perto da estação central. Ele tem uma vista incrível e uma cozinha italiana maravilhosa. Fazer comprar é uma diversão. Os amantes de cores, estampas e street style devem conhecer a marca Essentiel. Em Paris amo o bairro da Sacre Coeur, é um ponto boêmio.
Já para moda, a galeria Laffayette, o Le bon Marchê e a Avenue Montaigne com todas as lojas de luxo.

O mundo precisa de mais?
Tolerância e respeito ao próximo. Muito se fala em “mais amor por favor”, frases feitas que ficam bonitinhas, mas na hora H, atiram-se mil pedras, passam por cima dos outros e por aí vai. Toda essa loucura para morrer no final.

O mundo não precisa?
De preconceito e ignorância.

moda-real-parisiense

(Ana Garmendia/ELLE)

moda-real-parisiense

(Ana Garmendia/ELLE)

moda-real-parisiense

(Ana Garmendia/ELLE)

moda-real-parisiense

(Ana Garmendia/ELLE)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s