Mulheres que estão fazendo história no Oscar 2018

Neste domingo, preste atenção nos nomes que estão deixando sua marca na indústria cinematográfica

Os tempos não estão nada fáceis para as mulheres. No ano passado, a hashtag #MeToo evidenciou a dimensão do assédio sexual sofrido por mais de 500 mil usuárias do Twitter  – famosas ou não – que denunciaram abusos. Em janeiro de 2018, foi a vez da indústria do entretenimento se manifestar: o movimento Time’s Up mobilizou grandes nomes de Hollywood a se pronunciarem contra o assédio na indústria e levantarem fundos para proteger mulheres dentro e fora do meio cultural. Já no Oscar, premiação sempre envolvida em polêmicas (como o #OscarsSoWhite, de dois anos atrás, que denunciava a falta de diversidade na Academia e em suas indicações), as coisas estão um pouco melhores para as mulheres. Neste ano, muitas delas marcam a história da premiação. ELLE selecionou alguns nomes de mulheres indicadas às estatuetas douradas para você prestar atenção durante a cerimônia, que acontece neste domingo (04).

Veja também

Direção: Greta Gerwig

 (Universal/Divulgação)

Indicada como melhor diretora em sua estreia atrás das câmeras, Greta, mais conhecida por atuar e co-escrever o roteiro de Frances Ha (2012), é a quinta mulher na história a ser lembrada nessa categoria. Se vencer, ela será a segunda mulher premiada como melhor diretora (a primeira foi Kathryn Bigelow por Guerra ao Terror, em 2010). Lady Bird – A Hora de Voar, filme que dirigiu e roteirizou, conta a história emocionante de amadurecimento de uma garota que busca entender quem é, e concorre também aos prêmios de Melhor Filme e Melhor Roteiro Original. Em entrevista à ELLE, Greta lembrou os desafios de dirigir seu primeiro filme: “Foi assustador dar esse passo sozinha, mas o filme não teria acontecido nunca se eu tivesse ficado esperando ter experiência suficiente. Às vezes, é preciso se lançar para aprender enquanto fazemos.”

Direção de fotografia: Rachel Morrison

Rachel Morrison no set de gravação de “Mudbound”

Rachel Morrison no set de gravação de “Mudbound” (Diamond/Divulgação)

O nome pode não ser familiar, mas você provavelmente já assistiu a algum – ou vários – dos 44 títulos em que Rachel foi diretora de fotografia (ela esteve por trás, por exemplo, de Pantera Negra, um dos longas mais comentados do ano). Neste ano, seu trabalho em Mudbound – Lágrimas Sobre o Mississipi produção que narra a vivência de duas famílias, uma negra e uma branca, no delta do Rio Mississipi após a Segunda Guerra Mundial – foi reconhecido pela Academia e ela se tornou a primeira mulher nos 90 anos da premiação a concorrer na categoria de Melhor Direção de Fotografia.

Atriz: Frances McDormand

A já veterana da indústria cinematográfica concorrer ao prêmio de Melhor Atriz pela quinta vez por sua atuação como Mildred, a mãe que luta por justiça para sua filha, estuprada e morta em uma pequena cidade no Missouri. A atriz de Três Anúncios Para um Crime, que já levou uma estatueta na mesma categoria em 1997, com seu papel em Fargo, é a favorita desta edição do Oscar. Feminista e sem filtros, Frances não costuma conceder entrevistas, mas falou ao El País Brasil sobre sua carreira e a importância da diversidade de representações de mulheres nas telonas. “No cinema, grande parte do trabalho que fiz foram papéis de coadjuvante, em geral periféricos ao homem protagonista algo que não estou mais disposta a aceitar.  É a hora de reivindicar como atrizes, como mulheres, como mães e como público, histórias nas quais nos reflitamos, não estereótipos.”

Atriz coadjuvante: Octavia Spencer

Octavia Spencer, à esquerda, em uma cena de “A Forma da Água”

Octavia Spencer, à esquerda, em uma cena de “A Forma da Água” (Fox Film/Divulgação)

Forte candidata na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante por seu papel no campeão de indicações do ano A Forma da Água, Octavia interpreta a colega de trabalho de Elisa (Sally Hawkins, indicada a Melhor Atriz) no laboratório em que é mantido preso um homem anfíbio. Com isso, ela acumula três indicações ao Oscar e, empatada com Viola Davis, torna-se a atriz negra com mais menções na história da premiação. Já vencedora do prêmio em 2012, por Histórias Cruzadas, Octavia agora é a primeira atriz negra a ser indicada pela Academia após uma vitória.

Atriz: Saoirse Ronan

 (Universal/Divulgação)

Apenas 23 anos, três indicações na premiação mais importante do cinema. A irlandesa concorre ao prêmio de Melhor Atriz por sua performance como a estudante de personalidade forte Christine “Lady Bird” McPherson em Lady Bird. Ela é a mais nova da categoria deste ano e uma das mais jovens atrizes a acumular tantas menções da Academia – a primeira vez em que foi indicada tinha apenas 13 anos! Em declaração divulgada após a lista de indicados ao Oscar de 2018, Saoirse falou sobre a importância de personagens femininas fortes. “Fazer parte de um filme como Lady Bird foi um verdadeiro privilégio e eu estou incrivelmente grata à Academia por reconhecer essa história maravilhosa sobre a beleza e a força das mulheres.”

Atriz coadjuvante/ Música original: Mary J. Blige

 (Diamond/Divulgação)

Mais conhecida como cantora, Mary J. deixou o glamour dos palcos de lado para atuar no drama de época Mudbound – Lágrimas Sobre o Mississipi – ela ficou quase irreconhecível no papel de Florence Jackson. O trabalho rendeu uma menção da Academia na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante, mas as indicações não pararam por aí: ela também foi lembrada em Melhor Canção Original, para a música “Mighty River”, que compôs para o mesmo filme. Com isso, Mary J. Blige tornou-se a primeira pessoa na história do Oscar a ser indicada nas duas categorias ao mesmo tempo.

Atriz: Meryl Streep

 (Universal/Divulgação)

É quase impossível falar de Oscar e não citar Meryl Streep, a atriz americana que reescreve a história da premiação quase a cada edição. Neste ano, ela quebrou o próprio recorde e agora acumula 21 (!) indicações da Academia, o que a deixa isolada no posto de pessoa mais indicada às famosas estatuetas. O segundo lugar é ocupado simultaneamente por Katherine Hepburn e Jack Nicholson, ambos com 12 menções. Em 2018, Meryl recebeu a indicação de Melhor Atriz por seu papel como a editora Katherine Graham de The Post, filme que retrata a luta dos jornalistas do The Washington Post, na década de 1970, para publicar denúncias de corrupção contra o governo norte-americano.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s