“Eu amo os homens, mas prefiro trabalhar com mulheres”, diz Chloë Sevigny

Chloë Sevigny tem muito a dizer sobre o sexismo no mundo do cinema. A atriz e fashionista, um dos ícones da moda indie, lança no Festival de Cinema de Cannes este ano o seu primeiro curta-metragem, Kitty, em que faz o seu début como diretora.

O projeto faz parte do Shatterbox Anthology, uma série comandada por mulheres que são diretoras e uma parceria com o Refinery29. São 12 curtas que contam também as estreias de Kristen Stewart e Gabourney Sibide como diretoras.

“É o sonho de uma vida toda e agora eu estou aqui realizando-o, e eu tenho muito orgulho dele. Eu sinto que é um primeiro passo para contar mais histórias sobre mulheres que não tem nada a ver com encontrar um homem. É isso que eu quero fazer”, disse para o WWD.

A atriz falou sobre o curta durante o evento Women in Motion, organizado pelo grupo Kering, que aos poucos vem mostrando que quer dar cada vez mais voz às mulheres, principalmente no seu próprio conselho de diretores.

“Eu acho que é importante você se rodear com o máximo de mulheres possível. Desculpe, eu também amo os homens e eu amo dormir com homens. Eu adoro passar tempo com homens. Mas eu prefiro trabalhar com mulheres”, explicou.

Voltando a comentar sobre o ramo cinematográfico, Chloë argumentou que, com base na sua experiência, Hollywood ainda tem muito a aprender sobre valorizar o talento feminino e deixar de ver diferenças no tratamento entre homens e mulheres.

“Quando uma mulher no set fica um pouco emotiva ou apaixonada, até pelo trabalho, elas são tachadas de histéricas ou loucas e têm dificuldade em conseguir novos trabalhos. Eu conheço muitas mulheres que foram rotuladas assim, mas quando os homens são diretores loucos, selvagens, isso é totalmente aceito”.

Quando o assunto é moda, Chloë diz que não consegue entender a obsessão da mídia com a beleza e sente que, aos 41 anos, o seu papel na moda está cada vez mais discreto.

“Eu sinto que já estou diminuindo um pouco em relação a isso, mesmo emprestando vestidos e coisas assim. É bem lamentável. Eu acho que, provavelmente, fui a mulher mais velha a participar de uma campanha da Miu Miu, com 39 anos”, disse. “E eu amo a Miuccia Prada, eu acho que ela ama celebrar atrizes, mas normalmente são as ingênuas e inocentes. É isso que as pessoas gostam de ver. Eu não consigo mais olhar revistas de moda porque as imagens me dão dor de cabeça. Eu gostaria que houvesse uma maneira de mudar isso”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s