“Meu objetivo é posicionar a maconha em um mercado de luxo”, diz Cheryl Shuman

Cheryl Shuman é uma empresária muito bem sucedida em um ramo que não para de crescer nos Estados Unidos. Ela trabalha com o reposicionamento da maconha como um produto de luxo. Cheryl é o nome por trás do Beverly Hills Cannabis Club, um clube que oferece diversos produtos de alta qualidade, espaços disponíveis e festas para os apreciadores da erva. “Meu foco principal é criar uma marca de luxo. Imaginem uma ‘Couture Cannabis’, com baseados de classe”, ela explica em entrevista exclusiva à ELLE Brasil.

Além do consumo de maconha, outra grande parte do BHCC é criar pontes entre os frequentadores. “Nós somos um ponto de encontro para networking e novas relações entre os consumidores de maconha mais influentes no mercado, sejam empresários ou investidores”. Entre os serviços do clube, Cheryl cita as degustações de pratos criados com infusão de Cannabis como um de seus destaques: “Gosto de recriar meus menus preferidos com um twist”, a empresária brinca. “Também trabalhamos para ter projetos de caridade e arrecadações de fundos para novas pesquisas com a erva”.

Os benefícios não são exclusivos para quem mora na Califórnia, afinal, eles distribuem produtos de sua marca pelo mundo inteiro, de cinzeiros a locais para o armazenamento. Para os amantes de viagens, o clube oferece resorts, pousadas e restaurantes que são “420 friendly”, como a empresária se refere aos locais que permitem o uso da marijuana.

Cheryl Shuman Cannabis club (/)

O nível de sucesso que a empresária chegou é para pouco. “Recebo pelo menos cinco ligações de todos os tipos de celebridades que querem ‘entrar’. Muitos deles querem criar a sua própria linha de maconha”. Hoje, sua marca está se expandindo para Porto Rico e ela tem planos para o Canadá e outros locais da América do Sul.

Tudo começou com um câncer, o qual Cheryl combateu através do uso medicinal da maconha. Uma pequena horta da planta foi criada em sua própria casa para ela ter certeza de que só consumiria o melhor produto orgânico para a sua saúde. Assim, o interesse surgiu e foi aliado à vontade de fazer diferença no mundo. “O mais importante é que queria que as minhas filhas tivessem orgulho de mim por estar promovendo mudanças reais na sociedade. Queria deixar um legado de alguém que mudou a vida de milhões de pessoas”.

Por se tratar de um assunto tão polêmico, Cheryl tem uma visão ativista de seu trabalho: “As pessoas vão para cadeia por maconha em alguns lugares, enquanto outros estão faturando milhões com taxas e regulamentação. Nós, como uma indústria, precisamos continuar a lutar por nossos direitos sobre esta planta e acabar com o tabu de quem escolhe Cannabis como uma alternativa mais segura do que o álcool, tabaco ou farmacêuticos”.

Sua visão foi transformar a maconha em mainstream e acabar com o estigma do usuário viciado, lesado e sem atitude. As formas de conquistar esse rebranding incluem muita divulgação, mídias sociais e até vídeos no Youtube. No momento, mais de 1700 companhias já participaram desta ação. “Na indústria da maconha, empresários têm poucas opções de propaganda e muitos se sentem desconfortáveis assumindo que são usuários. Por isso, acredito que agora é a melhor hora de ‘sair do armário’”, ela divide.

Cheryl Shuman Cannabis club (/)

Por ser uma mulher de sucesso, principalmente no mercado de negócios, Cheryl chegou a sofrer ameaças quando começou a fazer sucesso. “Como uma mãe solteira de duas meninas neste mundo de business, eu sei como é difícil o começo. Quando eu finalmente saí do ‘closet da cannabis’ e lancei o meu reposicionamento, foi brutal”. A empresária sofreu com organizações de pessoas que criavam intrigas e até uma hashtag #TakeDownCherylShuman para tentar sabotá-la. 

“Um grupo de pessoas não gostou da minha visibilidade e das minhas pautas pró-mulheres e simplesmente foram cruéis comigo. Tentaram fazer mal, inclusive fisicamente, a mim e a minha família. Ameaças de morte online se tornaram parte do dia a dia. Eu sabia que seria difícil, mas não tanto”. Porém, nada disso a fez desistir e ela ainda incentiva outras mulheres no ramo: “As oportunidades de carreira são enormes nesta indústria e eu me orgulho de ser mentora de muitas mulheres neste setor”. Para quem ainda duvida do potencial feminino neste ramo tão novo, ela finaliza: “Nós dominamos a indústria da maconha e estamos fazendo história”.

Cheryl Shuman Cannabis club (/)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s