As bolsas clássicas voltaram a reinar

Depois da febre decorativa, a tendência são as bolsas que reinterpretam modelos clássicos, seja no shape estruturado ou no uso dos monogramas.

Nos últimos anos, as bolsas viraram telas em branco a serem preenchidas pelas equipes de design. Pinturas, bordados, aplicações e enfeites maximalistas resultaram em hits. Contribuíram muito para isso o efeito Gucci e sua it-bag Dionysus, que surgiu no primeiro desfile de Alessandro Michele e a cada temporada ganha novas interpretações em cima do monograma GG.

Leia mais: Essa é a cidade em que as bolsas Louis Vuitton são mais baratas

Na contramão de todo esse excesso, porém, cresce uma tendência mais discreta. É tudo parte de um resgate de elementos vintage, só que com foco em modelos mais clássicos. Menos detalhes fun, mais estrutura. Menos ornamentos, mais foco em couro, jacquard, canvas e monograma. Não tem receita certa: as marcas revisitam seus ícones, mesclando referências dentro de seus próprios arquivos. As peças remetem ao passado, só que com um twist.

A nova aposta da Fendi, por exemplo, é a Runaway, bem bold, com uma moldura formada pelos contrastes de cor. Em escala menor, ela se pareceria com modelos hit dos anos 1930. A Saint Laurent aposta na Bellechasse, uma reinterpretação das pastas de documento antigas. A pegada vintage segue forte na Louis Vuitton desde a Petite Malle, o primeiro grande sucesso de Nicolas Ghesquière. Na última temporada, a City Steamer, outra releitura feita por ele com shape bem clássico, reinou absoluta na passarela. Sem falar na versão icônica da Bamboo, mais arredondada, que reapareceu no desfile da Gucci.

bolsa-fendi

Fendi (Agência Fotosite/Agência Fotosite)

Na Dior, ressurge com força o monograma Dior Oblique, criado por Marc Bohan em 1967, que parecia ter se esgotado quando Galliano o tornou febre nos anos 2000. Maria Grazia Chiuri achou esse um bom momento para desengavetar o jacquard e lançou-o como um desafio aos fashionistas. Rihanna, embaixadora da marca, topou na hora e é vista com as bolsas desde o desfile. Estava com um uma delas quando foi recebida pela primeira-dama francesa, Brigitte Macron, no Palais de l’Élysée.

bolsa-dior-oblique

Christian Dior com
monograma Oblique. (Agência Fotosite/Agência Fotosite)

Se Rihanna usou, você já sabe. A rainha do cool, aliás, adora um monograma. Ela mistura os acessórios com looks total jeans, alfaiataria e moletons. Se você teve um déjà vu ao ler monogramas e moletons em um mesmo parágrafo, provavelmente sacou a tendencinha. Pense em Paris Hilton de conjuntinho e Speedy monogramada e transporte o look para os dias de hoje, sintonizando o estilo das tops millennial. A nova logomania está só começando.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s