Conheça Christopher Tanelli, ganhador da 14ª edição do FAAP Moda

O estudante falou sobre sua coleção "Efemeridade do Florescer" e também deu sua opinião sobre a moda genderless.

Enquanto um pêndulo prateado se movia no fundo do palco, a imaginação do estudante Christopher Tanelli foi ganhando forma em modelos vestidas com tons sóbrios desfilando com peças que recordavam trajes de luta, só que agora bem mais elaborados e sutis. Não se deixe enganar pela pouca idade de Chris, o jovem de 19 anos provou beleza e consistência em seu trabalho e se consagrou o vencedor da 14ª edição do FAAP Moda.

O concurso busca eleger a melhor coleção de um dos alunos da Fundação Armando Álvares Penteado e é um radar fashion de novos talentos, oferecendo ao ganhador um curso de verão na renomada escola britânica Central Saint Martins. Com os olhos atentos de jurados que incluíam o estilista mineiro Ronaldo Fraga, o idealizador do SPFW Paulo Borges e os editores de ELLE Vivian Whiteman e Lucas Boccalão, Chris apresentou a coleção Efemeridade do Ser, uma homenagem às onna-bugeishas, mulheres samurais japonesas.

O estudante, natural de São Bernardo do Campo, conta que uma das decisões de abordar o tema foi a presença da cultura japonesa em sua vida. “O Japão é muito recorrente para mim, desde pequeno sou fascinado pelo país. Para montar minha coleção, fui atrás dessa referência e comecei a pesquisar sobre samurais. Acabei descobrindo a história dessas mulheres que lutavam artes marciais e então defini o conceito.” As peças contaram com impressão 3D e foram feitas com tecidos rústicos como sarja, lã e linho, e outros mais leves, como a seda. Já a cartela de cores sóbrias ganhou  contraste com os tons de vinho inspirado nas gueixas.

Leia Mais: Estudante de moda recria looks icônicos com itens reciclados

Chris gosta de vestimentas mais largas, comprimentos longos e detalhes de pregas, sempre trabalhando em função do corpo. Para ele, a moda genderless é outro caminho a ser explorado, e que eventualmente pode ser incorporado ao seu trabalho. “Se o genderless for acontecer será de uma forma muito natural, mas não acredito que isso vá se desenvolver agora, será diluído ao longo dos anos”, disserta. A coleção calhou de ter apenas modelos mulheres por falar exatamente sobre elas, mas ele afirma que quando cria não pensa tanto em gênero.

christopher_tanelli_faap_moda

 (Arquivo Pessoal/Reprodução)

Com influências internacionais como Rei Kawakubo, Iris van Herpen, Yohji Yamamoto e nacionais como a consagrada Gloria Coelho e os também iniciantes Leandro Benites e Rafaella Caniello, ele revele que desde pequeno se interessou pelo universo fashion. “Quando saí da escola, prestei um único vestibular e consegui passar”, relembra. Para o futuro, ele espera conseguir experiências de estágio em sua área para depois alçar voos sozinho. “Quero praticar antes de construir alguma coisa só minha — algo que almejo um dia. Não quero me jogar”, finaliza.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s