Essa menina foi com os melhores looks que vimos no Lollapalooza

Foram três visuais icônicos com conceitos totalmente diferentes. Saiba tudo sobre a inspiração por trás deles aqui.

Quem foi ao Lollapalooza em São Paulo neste final de semana ou segue a estilista @rayneon (Raissa Galvão) nas redes sociais, com certeza, ficou de queixo caído com os últimos looks que a diva online escolheu para o festival. Sem dúvida, suas produções estavam entre as mais descoladas do evento e, por isso, conversamos com ela sobre a inspiração por trás de cada um deles. Confira abaixo!

Leia mais: A peça que substituiu a coroa de flores no Lollapalooza

  • Barbie desconstruída (dia 1)

“Acho divertido me sentir uma Barbie sendo gorda e estando fora desse padrão que a boneca prega (alta, magra e loira). Um amigo meu me comprou essa pelúcia e, com a ajuda da minha mãe, montei esse top e a pochete. O brinco, aliás, se chama Maria Antonieta e não é à toa: ela foi degolada durante a Revolução Francesa. A ideia é brincar com a ideia é usar na orelha um símbolo do padrão de beleza excludente que temos hoje.”

  • Brilho futurista (dia 2)

E disseram que nao tinha paquita gorda 💙 #lollapalooza

A post shared by Raissa Galvão | Fat Fashion (@rayneon) on

“Queria fazer algo futurista, mas fugindo da ideia do prateado. Por isso, usei tecidos brilhantes e monocromáticos que combinassem com o tom do meu cabelo. Além disso, queria muito usar um quepe — mesmo que, espero eu, um quepe militar não seja a representação do nosso futuro — que fui cobrindo com tudo que eu tinha e que brilhasse. Para arrematar, usei um quimono de R$ 1 real que achei num bazar!”

  • Gótica de verão (dia 3)

“Essa foi a composição mais fácil de todo o festival. Afinal de contas, minhas bandas preferidas tocavam naquele dia e eu queria algo que não me incomodasse. Peguei um vestido meu, pedi socorro para a minha mãe mais uma vez, e o transformamos numa saia. Queria usar peças transparentes que foi uma coisa que sempre amei, mas achei que jamais conseguiria vestir na vida real. Mesmo assim, usei! E foi incrível! Lá estava eu com a bunda de fora, minhas celulites aparecendo, minha perna grossa à mostra… Eu só recebi amor. Para não ficar com um look 100% preto, comprei um tecido com paetês que usei como quimono também.”

Gostaram? De quebra, Raissa ainda traz uma dica: “A vida é muito curta para ser uma pessoa só. É divertido criar personagens e buscar referências para criações. Moda é para se divertir e ousar. Passou a época em que ela era uma ditadura. Se vestindo como personagens, você acaba se tornando muito mais você!” Anotado.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s