O estética do diretor Wes Anderson domina as tendências de moda internacionais

Dono de uma visão particular, que mistura uma estética de encher os olhos, ironia e nostalgia, Wes Anderson conquistou uma legião de fãs ao redor do globo, especialmente na moda. E, talvez por causa do grande sucesso de seu longa mais recente, O Grande Hotel Budapeste (só no Oscar, foram nove indicações, das quais ganhou quatro, inclusive as de melhor figurino e direção de arte), na temporada de inverno 2016 internacional, diversos estilistas pareceram mergulhar fundo na obra do cineasta norte-americano. 

A referência à estética retrô, que sempre marca presença nos filmes dele, até poderia ter passado despercebida, camuflada pelo momento setentinha que paira sobre a moda, não fosse pelo novo diretor criativo da Gucci, Alessandro Michele. Em sua estreia aguardadíssima na semana de moda de milão, o estilista deveria ter duas heroínas em mente: Margot Tenenbaum, de Os Excêntricos Tenenbaums, e Suzy Bishop, de Moonrise Kingdom. Enquando o estilo glamouroso e decadente de Margot surge nos casacos de pele, praticamente idênticos aos usados pelo personagem de Gwyneth Paltrow no filme de 2001, mas ainda mais luxuosos, repletos de bordados preciosos, os gorros e as boinas, combinados com laçarotes, saias mídi e casacos 3/4, de vibe brecholenta, lembravam as produções girlie geek da descolada e espertinha Suzy. Há ainda um flerte com o visual de Max Fischer (protafonista de Rushmore, um dos primeiros trabalhos de Anderson, de 1998), evidenciado pela maioria dos looks de alfaiataria. 

Não foi apenas Michele que buscou inspiração no universo fantástico de Anderson. Na Lacoste, a família Tenenbaum se misturou nos conjuntinhos esportivos, arrematados por casacos de pelo, e até a faixa de cabeça de Richie Tenenbaum apareceu no show. 

Emilia Wickstead, Etro, Michael Kors, Peter Pilotto, Miu Miu e Prada também participaram do momento Wes ao abusar de tons terrosos, casacos felpudos, vestidos, golinhas e estampas de mood antiguinho, com aquela cara meio estranha, meio chic, mas sempre muito cool, que ele costuma retratar. 

Quer mais? Confira a matéria na íntegra na ELLE de junho/2015!

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s