Oscar 2018: filmes imperdíveis que têm tudo a ver com moda

Uma das premiações mais esperadas do ano se aproxima. Selecionamos alguns filmes que tem a moda em evidência e concorrem ao Oscar deste ano, dia 4 de março.

TRAMA FANTASMA
Inspirado na história de um dos costureiros mais importantes da alta costura, o espanhol Cristóbal Balenciaga, o filme traz a história do personagem Reynolds Woodcock – interpretado por Daniel Day-Lewis. O estilista, muito focado em seu trabalho, tem uma vida social quase nula na Londres dos anos 1950. O turning point do longa acontece quando a garçonete Alma (Vicky Krieps) entra na vida de Woodstock se tornando sua musa inspiradora e futura esposa.

Para se ambientar com o personagem, Day-Lewis – que anunciou ser esse o último filme de sua carreira – imergiu por quase um ano como aprendiz de Marc Happel, diretor de figurinos do Ballet de Nova York. Com ele, estudou desenho, costura e aprendeu a drapear tecidos, além de reproduzir do zero um vestido de Balenciaga para sua esposa. Não à toa, está concorrendo como Melhor Ator. Sob direção de Paul Thomas Anderson, o longa disputa seis nomeações, entre elas melhor figurino – como não poderia deixar de ser. Estreia 22 de fevereiro.

Daniel Day-Lewis como estilista em Trama Fantasma

Daniel Day-Lewis como estilista em Trama Fantasma (Universal/Divulgação)

A FORMA DA ÁGUA
O longa com mais nomeações deste ano se passa nos anos 1960 em meio a turbulências geopolíticas. Não é apenas um romance, mas um drama sobre a relação entre Elisa (Sally Hawkins), que possui dificuldades na fala, e uma criatura aquática criada em laboratório e mantida sob segredo. Inicialmente pensado para ser gravado em preto e branco, o desafio para o designer responsável, Luis Sequeira, seria ainda maior. Para contrapor as diferenças entre os personagens, um da terra e outro da água, Sequeira procurou usar uma paleta de cores e tecidos monocromática contrastando os dois mundos.

Como a Elisa é de uma classe social mais baixa, o designer quis vesti-la com roupas da década anterior, de modo que ela se destacasse entre os demais. “Como ela passa bastante tempo assistindo filmes antigos, pensei que seria uma colecionadora de peças, principalmente de brechós, e provavelmente a única coisa em que realmente gastou muito  dinheiro foi em sapatos. Ela tem um pouco de fetiche por sapatos”, contou ao site Deadline. Dirigido por Guillermo del Toro, o longa concorre como Melhor Filme, Melhor Figurino e mais onze categorias. Em cartaz.

DESTINO DE UMA NAÇÃO
Para vestir o personagem de Winston Churchill no longa de Joe Wright, a figurinista Jacqueline Durran teve que garimpar ternos dos anos 1920 a 1950, período anterior em que ele trabalhou como primeiro-ministro da Inglaterra. A inglesa, já levou um prêmio por Anna Karenina em 2012 e está indicada novamente. Assim como Gary Oldman, que por sua atuação e incrível semelhança com Winston Churchill, disputa o troféu de Melhor Ator. O filme também concorre a mais seis estatuetas no Oscar e nove nomeações ao Bafta (18 de fevereiro). Em cartaz.

 (Universal/Divulgação)

O CONFIDENTE DA RAINHA
Ainda na Inglaterra de Churchill, porém em outros tempos, Judi Dench encarna ninguém menos que uma das rainhas mais célebres: Vitória, que ocupou o trono durante 64 anos. Com uma vida baseada em relações impessoais e muito bajulamento, a monarca encontra Abdul (Ali Fazal), um indiano que viaja até a Inglaterra para entregar uma medalha. O homem, de origem muçulmana desperta curiosidade em Vitória, e por meio do longa, cresce uma amizade e cumplicidade entre servo e realeza. Esse contraste que o filme aborda aparece também nas roupas do ocidente e do oriente, além dos robustos vestidos de Vitória e os de seus serviçais. Esta é a terceira vez que a figurinista Consolata Boyle concorre ao prêmio de Melhor Figurino. Em cartaz.

 (Universal/Divulgação)

A BELA E A FERA
Além de concorrer por Destino de Uma Nação, Jacqueline Durran também disputa como Melhor Figurino pelo clássico da Disney, e não somente pelo famoso vestido de gala amarelo que Emma Watson usou no baile como Princesa Bela (bordado com cristais Swarovsky). Durran quis permanecer fiel à versão em desenho, “esses figurinos existem na imaginação das pessoas, tudo o que eu queria fazer era honrar o que eles esperavam em um filme com atores.” Uma das peças, um vestido floral que Bela usa em um baile tem inspiração em um pedaço de tecido do século 18 que a designer comprou quando era estudante. Para criar a peça, pediu para uma artista recriá-la em larga escala.

EU, TONYA
Tonya Harding era mestre dos patins no gelo. Conseguiu superar sua infância pobre e ser campeã do Campeonato de Patinação no gelo do Reino Unido e segunda colocada no campeonato mundial. Porém, sua fama passou a ter outro conteúdo nas manchetes: seu marido foi acusado de atacar fisicamente uma de suas concorrentes quebrando a perna dela durante as Olimpíadas de 1994. Com muitos maiôs asa delta, brilho e rabos de cavalo com frufru, Tonya costurava suas próprias roupas para as competições e era vista como cafona e de pouca educação por jurados e a imprensa. O filme concorre com Melhor Atriz (Margot Robbie), Melhor Atriz Coadjuvante (Allison Janney) e Melhor Edição. Estreia 15 de fevereiro.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s