Thierry Mugler vai ganhar retrospectiva em Montreal

A exposição vai abrir em fevereiro de 2019 e contará com 130 looks do icônico estilista.

Em geral, as pessoas acreditam que Thierry Mugler é apenas a marca por trás do perfume Angel, um sucesso absoluto de vendas que inaugurou uma onde de fragrâncias do tipo gourmand (dessas que têm notas oriundas do mundo da gastronomia: chocolate, baunilha, etc.). No entanto, a história do estilista francês vai muito além de seu hit eterno em lojas especializadas em produtos de beleza. Ele, na verdade, ao lado de Claude Montana – foi um dos designers que ajudou a dar forma à silhueta do final dos anos 1980 e começo dos 1990.

O power suit, os ombros marcados, a estética da supermulher, os saltos vertiginosos, o vinil, o color blocking, o exagero… Todas essas são características de seu trabalho que puxava referências desde grandes deusas e musas da mitologia grega e ia até as heroínas de histórias em quadrinhos. Tudo isso, em seu caldeirão, resultava em imagens de impacto que, na maioria das vezes, eram apresentadas durante espetáculos memoráveis. Mugler, inclusive, foi um dos primeiros estilistas a vender ingressos para seus desfiles, tamanha a proporção do show!

Leia mais: Exposição revisita 70 anos de história da Dior

Em fevereiro de 2019, o curador Thierry-Maxime Loriot promete fazer justiça ao trabalho do couturier com a exposição “Thierry Mugler: Creatures of Haute Couture”. Ela ficará no Montreal Museum of Fine Arts, no Canadá com mais de 130 looks da alta-costura produzida pelo estilista. Estarão por lá peças que já passaram pelo closet de figuras icônicas da cultura pop como David Bowie, Diana Ross, Lady Gaga, Beyoncé, Liza Minelli e Céline Dion. “Minha meta é mostrar como a sua obra é atemporal e também quão importante ela é para a história da moda quando se pensa na maneira como ela se relaciona diretamente com o contexto social em que se insere. Ele deu muita liberdade às mulheres e, ao mesmo tempo, ainda foi capaz de usar tecidos e materiais que não necessariamente eram produzidos para se fazer roupas”, justifica Loriot.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s